Edição Nº 60 :: Novembro 2015
Editorial

Ação de esclarecimento
do CBDB junto à imprensa

Barragens de rejeitos tem uma peculiaridade: são frequentemente construídas aos poucos, ao contrário das demais, que são construídas em sua altura e dimensões finais. Porque isto acontece? Barragens de rejeitos são utilizadas para conter os resíduos de uma mineração, por exemplo. Como o processo de lavra de uma mina é lento e pode levar anos, é mais econômico construir a barragem aos poucos, ou seria oneroso para a empresa que está iniciando a exploração contruir uma barragem gigantesca, que ficaria sem utilização por vários anos. Esta peculiaridade faz com que a vida deste tipo de barragem passe por diversas fases, ao longo de décadas. Neste período a engenharia muda, o dono muda, o responsável muda, até os materiais disponíveis mudam. Então, elas devem ser mais seguras que as demais, pois você tem que ter certeza que está alteando uma barragem, ou seja, construindo sobre a barragem anterior, com segurança. A base tem que ser suficientemente forte para suportar os novos esforços. Os alteamentos não tem frequencia pré-determinada, pois, caso o mercado esteja comprando menos minério, a velocidade de alteamento será menor e vice-versa. Com o alteamento, sua capacidade de armazenamento aumenta.

Outra peculiaridade é que podem ser construídas com os próprios rejeitos, desde que tenham capacidade adequada de suporte.

É engenharia altamente especializada, executada por poucos no mundo. E o Brasil é especialista, dada a província mineral que é, especialmente Minas Gerais.


Notícias Gerais

Diretor Técnico do CBDB recebe a medalha "Amigo da Marinha" por voluntariado em emergência

Cerimônia de entrega da medalha “Amigo da Marinha”, realizada no Farol da Barra em Salvador, Bahia, no dia 06/11/2015, quando foi concedida ao Eng. Carlos Henrique Medeiros, Diretor Técnico do CBDB, em reconhecimento do serviço voluntário prestado em atendimento a solicitação da Defesa Civil do Estado da Bahia, sobre a avaliação da condição de segurança da barragem Rio dos Macacos, localizada na Base Naval de Aratu, 2º. Distrito Naval, município de Salvador, Bahia.


Palavra de Conselheiro:
Cleber José de Carvalho

CBDB: Uma fonte
de conhecimento!

O Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB) realiza um trabalho muito relevante para o Brasil. Talvez a maioria dos associados não tenha esse entendimento. A cultura do nosso povo, por vezes, não nos leva a ser mais ativo nas questões que o CBDB levanta e defende. O Comitê é uma instituição com “DNA”. Ou seja, possui um cunho técnico forte. Até mesmo os empresários que participam da instituição o fazem com um viés mais técnico do que institucional.


Flavio Miguez de Mello

Comissão Internacional de Grandes Barragens (CIGB)

Nesta entrevista ao CBDB, o engenheiro Flavio Miguez de Mello, integrante da Comissão Internacional de Grandes Barragens (CIGB) e do Committee on Prospectives and New Challenges for Dams, fala sobre o custo da implantação de obras hidráulicas fluviais para controlar cheias. Segundo ele, o valor corresponde com sobras o gasto que poderia ser evitado na ocorrência da primeira grande cheia. Miguez aborda ainda o impacto nas tarifas brasileiras neste ano, o que está contribuindo decisivamente para o agravamento da recessão econômica e para o acentuado aumento do desemprego. Apesar deste cenário, o engenheiro diz acreditar que está havendo uma conscientização da importância das hidroelétricas e de reservatórios de regularização plurianual. Confira!












ICOLD Q96 R14 Usinas reversíveis
apoiadas por fontes alternativas

De acordo com o Relatório Geral da Questão 96 (Luc DEROO, França), item 3.2 Encontrar otimizações ou novas soluções para armazenar energia (p. 676 da versão em inglês), o rápido crescimento de fontes intermitentes de energia (eólica, solar) na Europa no início do século 21 produziu um ambiente favorável para o desenvolvimento de centrais de armazenamento bombeado (Pumped Storage Project - PSP), embora reconheça que persistem fatores que impedem esse desenvolvimento e que retardam investimentos, que levaram os estados europeus a não estabelecerem mecanismo para valorizar os serviços de rede prestados pelas PSPs. No entanto, o trabalho intitulado “Projetos de armazenamento por bombeamento entre reservatórios existentes pela Gas Natural Fenosa - GNF” (Pumped storage projects between existing reservoirs in Spain by Gas Natural Fenosa), elaborado por Javier Bastan, Nuria Rodriguez e Ana Martín (Espanha), apresenta um relato sobre o desenvolvimento de projetos da GNF de armazenamento por bombeamento a partir barragens existentes e seus reservatórios para armazenar a energia potencial produzida a partir de outras fontes, como o vento ou a solar, e, posteriormente, turbinando a água para obter energia elétrica quando necessário. Três dos novos projetos, Belesar III, Salas-Conchas y Edrada, se localizam no noroeste da Espanha.




Hydropower Development

Can the USA afford to continue impeding additional hydropower development? - The International Journal on Hydropower and Dams number 4 volume 22

Este artigo mostra que duas leis ambientais dos anos 60 e 70 nos EUA impediram a construção de novas barragens e causaram o súbito crescimento da divida nacional americana entre outras consequências.


São Paulo assina contrato
do Progestão com ANA

Lançado pela Agência Nacional de Águas (ANA) em 2013, o Pacto Nacional pela Gestão das Águas tem como objetivo estimular a gestão de recursos hídricos junto aos estados e ao Distrito Federal. O último estado a aderir foi São Paulo, que formalizou sua entrada em 19 de novembro através do Decreto nº 60.895, assinado pelo governador paulista Geraldo Alckmin. O Pacto disponibilizará para cada unidade da Federação R$ 3,75 milhões, divididos em cinco parcelas, a partir do cumprimento de metas para aperfeiçoar a gestão e promover o uso sustentável da água.




Sumário Executivo
Projeto de Integração do Rio São Francisco

O Projeto de Integração do Rio São Francisco vai garantir a segurança hídrica a 12 milhões de habitantes, em 390 municípios, nos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, além gerar emprego e promover a inclusão social. O empreendimento tem extensão de 477 km organizados em dois Eixos de transferência de água - Norte e Leste. A obra engloba a construção de 9 estações de bombeamento, 27 reservatórios, 4 túneis, 14 aquedutos, 9 subestações de 230 kV, e 270 km de linhas transmissão em alta tensão.


COPPE/UFRJ Tese Dra. Mônica da Hora

Desenvolve uma metodologia para subsidiar a operação hidráulica energética de usinas hidrelétricas com reservatórios de regularização, a partir da compatibilização dos usos múltiplos dos recursos hídricos. Além disso, formula o equacionamento da metodologia proposta através de ferramenta computacional que avalia a produção de energia e as possíveis perdas energéticas associadas ao atendimento das demandas atuais e futuras da água para outros setores usuários. O estudo de caso aplicado na bacia dos rios Tocantins e Araguaia foi validado a partir dos dados operativos do setor elétrico. Os resultados da operação corroboram os resultados simulados pelo modelo, concluindo por sua aplicabilidade.


NRRS
IV Simpósio de Segurança e Risco Associado

Nos dias 26 e 27 de Novembro, ocorrerá, em Porto Alegre, o IV Simpósio de Segurança de Barragens e Risco Associado. O local de realização será o Blue Tree Towers Millenium.


Revista O Empreiteiro

Redução de reservatórios
amplia crise hídrica e energética

Embora construir barragens seja uma prática milenar, nas últimas décadas ela vem sendo objeto de oposições, sob o argumento de que provocam modificações no meio ambiente, com os reservatórios interferindo no hábitat das populações, contíguo às margens dos rios. “Contudo como em qualquer outra obra ou atividade humana, há que se procurar aumentar os benefícios da população afetada e diminuir ou mitigar os impactos”. O presidente do CBDB reconhece a complexidade do problema, pois as populações próximas aos locais de construção de barragens tendem a considerar os “supostos efeitos negativos sobre o ambiente e sobre a interferência em seu modo de vida”. E têm dificuldade de entender ou avaliar objetivamente os benefícios. Estes, em particular no caso de geração hidrelétrica, são apreciados mais positivamente pelas populações urbanas, que moram longe dos canteiros das obras e não sofrem as suas consequências. Por causa disso, segundo o engenheiro, o governo e os demais responsáveis por esses empreendimentos precisam desenvolver ações que mitiguem os efeitos ambientais locais. E precisam difundir a importância e custo econômico e social da disponibilidade dos benefícios colocados à disposição das populações afetadas.

Notícias das Comissões Técnicas

Barragem Svartevatn, onde estão sendo realizados ensaios de galgamento de enrocamento em escala natural

Barragem Svartevatn, onde estão sendo realizados ensaios de galgamento de enrocamento em escala 1:1. Uma pequena barragem de enrocamento é construída na saída da descarga de fundo da barragem principal e as respectivas comportas são abertas aos poucos. Uma tese de doutorado está em andamento relacionada a esse estudo. Foi apresentado um paper ao Congresso ICOLD 2015. No dia da visita o teste durou 1 hora e a vazão foi aumentada, em etapas, até 100m³/s, resultando numa vazão específica de 8m³/s.m, sem que a barragem se rompesse. Anexos 2 pequenos vídeos do teste. As barragens de enrocamento da Noruega foram tradicionalmente construídas em talude de jusante 1,35H:1V. As atuais normas consideram estes taludes muito íngremes e pouco resistentes no caso de galgamento. Foi, então, desenvolvida uma tecnologia de construção com pedras de grande diâmetro, colocadas uma a uma, com sua maior dimensão no sentido do fluxo e com pequena inclinação para baixo na direção montante. A pequena barragem acima testada foi construída com essa técnica. O talude atualmente usado é 1,5H:1V. As atuais normas norueguesas exigem que todas as barragens antigas, das 2 classes mais importantes, tenham seu talude de jusante recobertos com a nova tecnologia e sejam capazes de resistir a um galgamento de 0,7m³/s.m. É um trabalho muito oneroso e que não seria viável em países menos ricos que a Noruega. A barragem de Svartevatn já foi recoberta e apresenta um novo talude de jusante (Foto).

Notícias dos Núcleos

NRBA
Curso de Especialização em
Segurança de Barragens UFBA

Seg. Barragens: Aspectos Técnicos e Legais
Período: Nov/2015 a Fev/2017
Carga horária: 391 horas
Local: Escola Politécnica da UFBA - Rua Aristides Novis, 2 - 4º Andar - Federação - Salvador – BA


NRMG – Informativo

> Palestra Técnica NRMG – Em novembro, o NRMG receberá o eng.º Jorge Felippe da Silva Filho para a palestra “RUPTURAS POR PIPING DE UMA BARRAGEM DE TERRA E DE UMA BARRAGEM DE CONCRETO.”
> Chamada para resumos Cobramseg/SBMR 2016
Data limite: 30/11/2015


NRRJ – Palestra com Geraldo Magela

No dia 18 de novembro de 2015, no Rio de Janeiro/RJ, acontecerá a Palestra "Projeto de uma Usina Hidrelétrica - A importância dos reservatórios: o caso da UHE Tucuruí, com Referências aos projetos Teton, Kariba, Jaguara e Sobradinho".


NRRS - Curso de Planejamento da Construção de Obras Hidráulicas

O Núcleo Regional RS realizou, nas dependências da Sociedade de Engenharia do RGS, o curso de Planejamento da Construção de Obras Hidráulicas, durante os dias 08 a 12 de setembro/2015. O curso, ministrado pelos engenheiros civis Luiz Edmundo França Ribeiro e Carlos Eduardo Kerr Andres, contou com a participação de 14 colegas da engenharia civil. Os participantes, além do próprio RS, vieram de São Paulo, Mato Grosso e Pernambuco. Os alunos foram contemplados com informações preciosas, decorrentes da experiência de décadas dos professores nesta área.


NRSC - Curso de Revestimento de Canais com Geomembranas

Nos dias 04 e 05 de novembro de 2015 foi realizado em Florianópolis nas dependências da ELETROSUL o primeiro “Curso de Revestimento de Canais com Revestimento de Geomembranas” que contemplou no primeiro dia um módulo abordando o projeto e construção de canais revestidos com geomembranas e no segundo dia duas apresentações com a experiência internacional das empresas CARPI e MACCAFERRI com utilização de geomembranas.

Notícias enviadas pelos sócios

> ABGE renova a Participação no topo da Gestão dos Recursos Hídricos do Estado de São Paulo

> Energia, crise e perspectivas - Por José Eduardo Moreira

> PennWell Energia No.3 | 09/2015 | Entrevista: Nivalde de Castro - Mudança na matriz Brasileira

> Energia: Como Entrar e Sair de Uma Crise - O Estado de São Paulo

> Estatais culpam Dilma por perdas de usinas - Folha de SP

> Andamento PL-01486/2007 Dispõe sobre a obrigatoriedade da assistência social às populações de áreas inundadas e dá outras providências

> Andamento PL 436/2007 Torna obrigatória a contratação de seguro contra o rompimento de barragens

> Roosevelt, as hidrelétricas e o estoque de vento - PUGNALONI, Ivo. Agência CanalEnergia. Rio de Janeiro, 22 de outubro de 2015

> Noticia EPE- Leilão A-5 fevereiro 2016

> Matéria Exame sobre a UHE São Luiz do Tapajós

> Senado - Aprovada na CMA política para criação de reservatórios de acumulação de água

> Campanha que National Hydropower Association dos Estados Unidos está fazendo junto ao Congresso Americano para destravar o licenciamento e a realização de aproveitamentos hidrelétricos naquele país.

> UHE Santo Antonio - Acompanhamento fotográfico aéreo das obras da UHE Santo Antonio no rio Madeira


Eventos CBDB
Clique nos links dos eventos
para obter mais informações

Agenda

Diretoria CBDB
Presidente
Brasil P. Machado
Vice-Presidente
Fabio De Gennaro Castro
Diretor Secretário
Luciano Nobre Varella
Diretor de Comunicações
Ricardo Aguiar Magalhães
Diretor Técnico
Carlos Henrique Medeiros

Conselho Deliberativo
Membros Eleitos
Alberto S. F. J. Sayão
Aurélio Alves de Vasconcelos
Brasil Pinheiro Machado
Carlos Henrique Medeiros
Cleber José de Carvalho
Denise Araújo Vieira Krüger
Dimilson Pinto Coelho
Fabio De Gennaro Castro
Gilson Machado da Luz
João Francisco A. Silveira
José Bernardino Botelho
Luciano Nobre Varella
Marcos Luiz Vasconcellos
Paulo Coreixas Junior
Rodrigo Junqueira Calixto
Ricardo Aguiar Magalhães
Teresa Cristina Fusaro
Walton Pacelli de Andrade
Membros Vitalícios
Cássio Baumgratz Viotti
Edilberto Maurer
Erton Carvalho
Flavio Miguez de Mello

Comissão Fiscal
Alberto Jorge T. Cavalcanti
Étore Funchal de Faria
Fernanda Otto Springer
Paula Luciana Divino

Comissões Técnicas



Nacionais
Barragens de Concreto
José Marques Filho
Barragens de Enrocamento
com Face de Concreto
Bayardo Materon
Barragens de Rejeitos
Joaquim Pimenta de Ávila
Barragens de Terra e Enrocamento
Ricardo Aguiar Magalhães
Condicionantes Regulatórios à
Realização de Barragens e
Reservatórios
Raymundo Garrido
Formas de Contratação de
Serviços de Engenharia e Construção
Sergio Abu Jamra Misael
Hidráulica em Barragens
Brasil P. Machado
Impacto Ambiental de
Barragens e Reservatórios
Sandra Elisa Favorito Raimo
Obras de Proteção e Contenção
de Fluxo de Detritos
Dimitry Znamensky
Pesquisa, Desenvolvimento e
Inovação Técnica
Denise Araujo Vieira Kruger
Registro de Barragens
Sérgio C. Pimenta
Segurança de Barragens
Carlos Henrique Medeiros
Usos Múltiplos de Reservatórios
Fabio De Gennaro Castro

Comitês Técnicos



Internacionais
Concrete for Dams
José Marques Filho
Dam Safety
Carlos Henrique Medeiros
Hydraulics for Dams
Brasil Pinheiro Machado
Embankment Dams
Cássio Baumgratz Viotti
Public Awareness and Education
Miguel Z. Sória
Prospective and New
Challenges for Dams
Flavio Miguez de Mello
River Basin Management
Erton Carvalho
Tailing Dams and Waste Lagoons
Joaquim Pimenta de Ávila
The World Register of Dams
and Documentation
Sérgio C. Pimenta
Integrated Operation of Hydropower
Stations and Reservoirs
Luciano Nobre Varella
Multipurpose Water Storage
Fábio De Gennaro Castro

Núcleos Regionais
NRBA - Bahia
Diretor Regional
Roberto Facchinetti
Vice-Diretor Regional
Carlos Henrique Medeiros
Diretor Técnico
José Mário Miranda
Diretora Secretária
Maria da Graça Maia Lopes
Diretor de Comunic. Regional
Jorge Luís Rocha de Amorim

NRCE - Ceará
Diretora Regional
Ana Teresa de Sousa Ponte
Secretária
Lucrecia Nogueira de Sousa
Tesoureira
Vanda Tereza Costa Malveira

NRGO/DF - Goiás/Dist. Federal
Diretor Regional
Em processo de renovação
Vice-Diretor Regional GO
Gilson Gitirana Jr.
Vice-Diretor Regional DF
Álvaro Araujo
Diretor de Comunicação
Antonival Lima Albuquerque
Secretário Executivo
Joviano Miguel Fonseca

NRMG - Minas Gerais
Diretora Regional
Teresa Cristina Fusaro
Vice-Diretor Regional
Cléber José de Carvalho
Diretor Técnico Regional
Carlos Barreira Martinez
Diretor de Comunic. Regional
Aloyso Portugal Maia Saliba
Secretário Regional
Rodrigo de Melo

NRPR - Paraná
Diretor Regional
Carlos Infante
Secretária
Silvia Frazão Matos
Tesoureiro
Marcos Alberto Soares

NRPE - Pernambuco
Diretor Geral
Aurélio Alves de Vasconcelos
Vice-Diretor Geral
Adilton Castello Branco
Diretor Secretário
José Aquino de Souza
Diretor Tesoureiro
Alberto Jorge Cavalcanti

NRRJ - Rio de Janeiro
Diretor Regional
Celso Jose Pires Filho
Vice Diretor Regional
Leticia Costa Manna Leite
Diretor Técnico/Tesoureiro
Isaac Benchimol
Secretário
Maria do Carmo Cavalcanti
Adjuntos
Marco Antonio Ramidan
Ricardo Moreira Soares

NRRS - Rio Grande do Sul
Diretora
Lúcia Miranda
Vice-Diretor
Rafael André Wiest
Diretor Técnico
Marcelo Giulian Marques
Secretário
Roberto Arsego Zuch

NRSC - Santa Catarina
Diretor Regional
Sérgio Corrêa Pimenta
Vice Diretor Regional
Joao Raphael Leal
Diretor Técnico
Rafael Fernandes Pereira
Secretário
Francisco Carlos dos Santos

NRSP - São Paulo
Diretor Regional
Clovis Ribeiro Leme
Vice Diretor Regional
Fabio Luiz Ramos de Abreu
Secretário
Ronaldo Rocha
Tesoureiro
Paulo Victor Braun

Apoio Logístico e



Operacional do CBDB
Superintendente
Pedro Paulo Sayão Barreto
Gerente de Eventos
Rita Marques Pitta
Secretária
Marise Marinho
Administrativo
Marcos Paulo Trindade
Vitor Codeço


www.cbdb.org.br cbdb@cbdb.org.br 55 21 2528.5320

Caso não deseje mais receber estas mensagens, entre em contato com o CBDB.
Powered by Dub Projetos Visuais