Edição Nº 61 :: Janeiro 2016
Editorial

Usinas Hidrelétricas Reversíveis

Com as crescentes restrições à construção de UHEs com reservatórios de armazenamento de energia , o aumento da participação das UHEs a fio d’agua e o crescimento percentual acentuado da participação das fontes eólica e solar na expansão do nosso parque gerador, a inserção de Usinas Hidrelétricas Reversíveis surge como uma alternativa que pode trazer importantes benefícios para o sistema. As UHEs Reversíveis são hidrelétricas motorizadas com grupos Turbina-Bomba que basicamente tem um reservatório superior e um reservatório inferior que alternam geração de energia do reservatório superior para o inferior quando houver demanda no sistema e bombeamento do reservatório inferior para o superior quando houver excedente de energia, geralmente em horários de baixa demanda e preços mais baixos da energia.


Notícias Gerais

O Comitê Brasileiro de Barragens – CBDB realizará nos dias 27 e 28 de abril de 2016, em Florianópolis, SC, um evento abrangendo separadamente o X Simpósio sobre Pequenas e Médias Centrais Hidrelétricas (dia 27) e Usinas Hidrelétricas Reversíveis - Estado da Arte e Perspectivas no Setor Elétrico Brasileiro (dia 28), nas instalações do hotel Majestic.
Pretende-se abordar nesse evento as questões técnicas, institucionais e regulatórias de maior relevância associadas aos temas, que como se sabe, já são presentemente objeto de atenção de vários segmentos do Setor Elétrico Nacional, tanto público como privado.
O Simpósio pretende reunir instituições que participam decisivamente desses empreendimentos ,nos estudos técnicos, incluindo aspectos sócio ambientais, planejamento, projeto, construção e operação de usinas, fabricantes e montadoras de equipamentos eletromecânicos, profissionais do setor de energia, consultores, pesquisadores, professores e universitários, propiciando um ambiente de intercâmbio de ideias e informações.
Paralelamente ao evento, será realizada uma exposição técnica de produtos e serviços que complementará o intercâmbio de informações e também criará a oportunidade de congraçamento e networking, além de gerar a oportunidade de novos negócios.


O V Simpósio sobre Segurança de Barragens e Riscos Associados será realizado nos dias 17 e 18 de março, em Fortaleza, Ceará, no Hotel Mareiro.


Palavra de Conselheiro
Denise Krüger

A redução de custos
não pode penalizar
a segurança

Infelizmente, o acidente em Mariana mostra o quanto ainda é preciso trabalhar para que a preocupação com a segurança de barragens seja uma constante não só da área técnica, mas também da sociedade em geral. São necessários sistemas de monitoramento efetivos, planos de ações emergenciais bem desenvolvidos, equipamentos de alerta devidamente instalados. E tudo isso deve estar em perfeito funcionamento com as entidades envolvidas, como a Defesa Civil. Ou seja: para que haja maior controle e fiscalização é necessário um trabalho conjunto entre área técnica, empresários, políticos e comunidade.


Palavra de Conselheiro
Dimilson Pinto Coelho

A segurança das barragens

O Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB) faz parte de minhas atribuições desde minha graduação. Naquela época participei de palestras e seminários sobre temas de barragens como consequência da política de divulgação do conhecimento tecnológico adotada pelo CBDB desde então. Recentemente, em 2014, fui indicado pela Itaipu Binacional, onde trabalho, como Conselheiro da instituição, tendo como missão valorizar a profissão do Engenheiro de Barragens.


Bate papo

Núcleo Regional do
Rio Grande do Sul

O Núcleo do Rio Grande do Sul (NRRS) foi oficialmente instaurado há quase uma década. Mas, na verdade, já funcionava desde 2000, graças ao empenho e dedicação de uma engenheira e de um engenheiro. A dupla foi responsável pela criação do NRRS e, atualmente, compõe a direção do órgão regional, ao lado de dois profissionais da mesma área. Nesta entrevista, Lúcia Wilhelm Véras de Miranda, Marcelo Giulian Marques, Rafael André Wiest e Roberto Arsego Zuch contam a história da instituição gaúcha e avaliam as dificuldades para licenciamento de novos empreendimentos. As barragens como geradoras de energia elétrica e o grande potencial hidrológico a ser explorado por Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH’s) no Estado são outros temas tratados abaixo.


Curso de Projetos de Usinas Hidrelétricas

O curso será realizado de 4 a 7 de abril/2016, no Rio de Janeiro/RJ. É indicado para profissionais com nível superior na área de engenharia civil, envolvidos em projetos, execução, operação, manutenção e segurança de barragens.


CPRM divulga resultados sobre qualidade da água
do Rio Doce

Resultados comprovam que a qualidade da água do Doce está compatível com análises feitas antes da passagem da lama de rejeitos liberada pelo rompimento da barragem Fundão, em Mariana, e confirmam que, depois de adequadamente tratada pelas companhias de saneamento, a água pode ser consumida sem riscos. Resultados de novas amostras comprovam que a qualidade da água do rio Doce está compatível com resultados obtidos em amostras colhidas antes da passagem da lama de rejeitos liberada pelo rompimento da barragem Fundão, de propriedade da mineradora Samarco, em Mariana (MG). Os resultados confirmam que, depois de adequadamente tratada pelas companhias de saneamento de forma a torná-la compatível com os padrões de potabilidade estabelecidos pela Portaria 2.914 do Ministério da Saúde, a água pode ser consumida sem riscos. As 25 amostras de água, sedimentos e material em suspensão, que totalizaram 3.662 determinações analíticas, foram coletadas ao longo do rio Doce pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), do Ministério das Minas e Energia, em parceira com a Agência Nacional de Águas (ANA), vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, no âmbito do Monitoramento Especial da Qualidade da Água no Rio Doce, estabelecido depois do desastre de Mariana. Após o rompimento da barragem, a água do rio recebeu imensa sobrecarga de lama, o que aumentou a turbidez e diminuiu a quantidade de oxigênio dissolvido, fatores que contribuíram para a mortandade de peixes e a interrupção do abastecimento das cidades que captavam no rio.




Belo Monte sem barragem é um absurdo, diz presidente da Fapesp

A Usina de Belo Monte foi um erro, na opinião do físico José Goldemberg, presidente da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). Ele culpa o movimento ambientalista pelo äbsurdo completo"de não haver uma barragem por lá. Ele critíca a política energética do governo federal, que seria ëstatizante", fruto de uma mentalidade "nacionalista", "dos anos 1950. Para o ex-reitor da USP, a incompetência, mais do que a corrpução, caracteriza a atual presidência.


Barragens Paulistas terão novas regras

Grupo criado pelo Estado vai sugerir mudanças nos sistemas de fiscalização; há 21 estruturas do tipo em SP, duas delas na capital.
As 21 barragens de rejeitos de mineração localizadas no Estado de São Paulo deverão ter, a partir de fevereiro, de seguir novas recomendações que começaram a ser traçadas ontem por um grupo de trabalho da Secretaria de Estado de Energia e Minas, lançado em parceria com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e a Federação das Indústrias do Estado de São PAulo (Fiesp).




MP do governo cria compensação financeira para explorar terras indígenas

O governo está com uma medida provisória pronta, que autoriza o avanço de projetos de infraestrutura dentro de terras indígenas. A MP prevê a criação de uma compensação financeira que seria paga aos índios, por conta da utilização de parte de suas terras homologadas. No caso de projetos de construção de hidrelétricas, o texto estabelece ainda uma participação anual no resultado da operação da usina destinada às comunidades indígenas que sejam diretamente afetadas pelo empreendimento.


CBDB recebe Delegação Chinesa e renova "Agreement on Tecnical Cooperation and Exchanges" com o Comitê de Barragens da China - CHINCOLD

O CBDB recebeu em 10/12/2015 delegação chinesa chefiada por Hao Zhao, membro do Conselho do Comitê Chinês de Barragens - CHINCOLD. Mr. Zhao mencionou o novo convênio de cooperação Chincold – CBDB assinado recentemente e aproveitou para solicitar a participação do CBDB na organização do próximo Water Forum Conference que será realizado aqui no Brasil em 2018. Mr. Zhao conversou, também, sobre a definição dos temas para o Simpósio Internacional sobre barragens de enrocamento que será realizado em Belo Horizonte em 2017. Queriam saber o que o CBDB faz para atender as demandas de nossos sócios. Levantaram questões sobre o Acidente em Mariana e se propuserarm a enviar os regulamento chineses sobre segurança de barragens.


Thoughts on the Aesthetics of Dams

The design and construction of a large dam to function safely and effectively throughout its long operating life is often challenged by the stringent demands of nature: geology, hydrology, and materials. Meeting these challenges efficently and economically is the aim of any good engineer.


Carlos Henrique Medeiros representa
o CBDB na Câmara dos Deputados

Carlos Henrique Medeiros participou como Representante do CBDB de Audiência na Comissão de Legislação Participativa da Câmara dos Deputados, em Brasília, no dia 18/11/2015, em atendimento ao Convite formalizado ao CBDB pelo deputado Fábio Ramalho e pelo 1º Vice-Presidente, deputado Sarney Filho, para debate sobre a Lei de Segurança de Barragens.


Controle de cheias, uma desilusão brasileira

Por Flávio Miguez de Mello para a revista Fundações e Obras Geotécnicas (ano 6 - nº 61 - outubro de 2015)

O controle de cheias no País permanece nebuloso no futuro próximo. A falta de um órgão de abrangência nacional para planejar, controlar e implementar obras hidráulicas com esse objetivo é imperioso já que os cursos d’água de porte médio ou grande são, em geral, intermunicipais ou mesmo interestaduais.

Notícias das Comissões Técnicas

CT-11 :: Comissão Técnica Obras de Proteção e Contenção de Fluxo de Detritos

A noticia a divulgar não é alvissareira. Pela segunda vez a candidatura do Brasil foi preterida na escolha do país hospedeiro da IC DFHM ou seja, International Conference on Debris Flow Hazard Mitigation. Apresentamos a pedido da comissao internacional organizadora dessa conferencia a nossa candidatura em Padova, Italia 2011 e agora em Tsukuba, Japao 2015 e novamente ficamos fora do pareo. A proxima IC DFHM sera realizada em Colorado Springs, EUA 2019 de acordo com o veredito final da comissao organizadora do evento. Agradecemos a colaboracao da ABMS e ABGE e principalmente da Geobrugg do Brasil prestada na tentativa de trazer o evento para o nosso pais.

Cordiais saudações,
Dimitry Znamensky
Coordenação da CT-11 do CBDB


Barragens no Mar

ICOLD Q,96-R35 - Relato Miguel Sória

Segundo o Relatório Geral da Questão 96 (Luc DEROO, França), item 4.10 Barragens no mar (p. 184 da versão em inglês), “... o mar pode ser utilizado para criar reservatórios...”. O autor do relatório aponta como suporte para tal afirmação o conteúdo de dois trabalhos, sendo que um deles, intitulado “Novas soluções promissoras para a energia das marés” (New promising solutions for tidal energy), elaborado por F. Lemperiere, N. Nerincx e C. Bessiere (França) apresenta novidades tecnológicas quanto ao aproveitamento das marés para a produção de eletricidade. Basicamente, os autores, reconhecendo a baixa eficiência das soluções desenvolvidas até então nesse campo, propõem como inovação o emprego de uma combinação de lagoas artificiais e canais com turbinas submersas (in-stream), em locais específicos na costa, formando algo como “Parques Maremotrizes” (Tidal Gardens), similares aos parques eólicos. Estimam eles que essa solução, se adotada globalmente, poderá produzir por volta de 1.500 TWh /ano em 20 países, incluído o Brasil, mesmo com as variações das marés naturais tão baixas quanto 3 ou 4 metros. Avaliam os autores que o Brasil tem condições parecidas com as da China: costas longas, reduzida profundidade do mar e bastante baixa amplitude das marés. As possibilidades aparecem essencialmente ao longo de mil quilômetros no litoral norte a oeste de São Luís - MA, onde a amplitude da maré é de cerca de 3 metros. Nessas condições, o suprimento de 50 a 100 TWh / ano parece uma meta razoável, segundo afirmam.





Notícias dos Núcleos

NRBA - Curso de Especialização
Lato Sensu - UFBA

Seg. Barragens: Aspectos Técnicos e Legais
Período: Mar/2016 a Jul/2017
Carga horária: 391 horas
Local: Escola Politécnica da UFBA - Rua Aristides Novis, 2 - 4º Andar - Federação - Salvador/BA


NRMG - Palestra técnica "Rupturas por Piping de uma Barragem de Terra e de uma Barragem de Concreto"

Foi grande a participação de sócios na Palestra técnica NRMG 19/11 - "Rupturas por Piping de uma Barragem de Terra e de uma Barragem de Concreto" - Eng. Jorge Felippe da Silva Filho.


NRPR - Informativo nº 17 - Novembro 2015

Confira no link abaixo o informativo com as informações sobre as atividades da diretoria, o calendário de cursos e palestras técnicas, e demais notícias sobre o Núcleo Regional do Paraná.


NRRJ - Palestra "Projeto de uma Usina Hidrelétrica, a Importância do Reservatório"

Foi abordado, na palestra realizada em Furnas/RJ, em novembro de 2015, o tema PROJETO DE UMA USINA HIDRELÉTRICA, A IMPORTÂNCIA DO RESERVATÓRIO: O CASO DA UHE TUCURUÍ, COM CITAÇÕES AOS PROJETOS DE SERRA DA MESA, PEIXE ANGICAL, TRÊS MARIAS, SOBRADINHO E AOS INVENTÁRIOS DOS RIOS XINGU, ARAGUAIA, TOCANTINS E TELES PIRES, por Geraldo Magela Pereira. Além disso, foi abordada A COMPATIBILIZAÇÃO DA GERAÇÃO DE ENERGIA COM OS DEMAIS USOS DOS RECURSOS HÍDRICOS, por Antônio da Hora e Mônica da Hora. O Eng. Antonio da Hora é Sub Secretario de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro, e Monica da Hora é Phd e professora de Recursos Hídricos da Universidade Federal Fluminense, foram convidados pelo Engenheiro Geraldo Magela Pereira para complementar a palestra.


NRRS - Apresentações e Fotos IV SSBRA

No link abaixo estão disponíveis, para download, as apresentações e fotos do IV Simpósio sobre Segurança de Barragens e Riscos Associados, realizado em Porto Alegre, em novembro de 2015.

Notícias enviadas pelos sócios

Eventos CBDB
Clique nos links dos eventos
para obter mais informações

Agenda

Diretoria CBDB
Presidente
Brasil P. Machado
Vice-Presidente
Fabio De Gennaro Castro
Diretor Secretário
Luciano Nobre Varella
Diretor de Comunicações
Ricardo Aguiar Magalhães
Diretor Técnico
Carlos Henrique Medeiros

Conselho Deliberativo
Membros Eleitos
Alberto S. F. J. Sayão
Aurélio Alves de Vasconcelos
Brasil Pinheiro Machado
Carlos Henrique Medeiros
Cleber José de Carvalho
Denise Araújo Vieira Krüger
Dimilson Pinto Coelho
Fabio De Gennaro Castro
Gilson Machado da Luz
João Francisco A. Silveira
José Bernardino Botelho
Luciano Nobre Varella
Marcos Luiz Vasconcellos
Paulo Coreixas Junior
Rodrigo Junqueira Calixto
Ricardo Aguiar Magalhães
Teresa Cristina Fusaro
Walton Pacelli de Andrade
Membros Vitalícios
Cássio Baumgratz Viotti
Edilberto Maurer
Erton Carvalho
Flavio Miguez de Mello

Comissão Fiscal
Alberto Jorge T. Cavalcanti
Étore Funchal de Faria
Fernanda Otto Springer
Paula Luciana Divino

Comissões Técnicas



Nacionais
Barragens de Concreto
José Marques Filho
Barragens de Enrocamento
com Face de Concreto
Bayardo Materon
Barragens de Rejeitos
Joaquim Pimenta de Ávila
Barragens de Terra e Enrocamento
Ricardo Aguiar Magalhães
Condicionantes Regulatórios à
Realização de Barragens e
Reservatórios
Raymundo Garrido
Formas de Contratação de
Serviços de Engenharia e Construção
Sergio Abu Jamra Misael
Hidráulica em Barragens
Brasil P. Machado
Impacto Ambiental de
Barragens e Reservatórios
Sandra Elisa Favorito Raimo
Obras de Proteção e Contenção
de Fluxo de Detritos
Dimitry Znamensky
Pesquisa, Desenvolvimento e
Inovação Técnica
Denise Araujo Vieira Kruger
Registro de Barragens
Sérgio C. Pimenta
Segurança de Barragens
Carlos Henrique Medeiros
Usos Múltiplos de Reservatórios
Fabio De Gennaro Castro

Comitês Técnicos



Internacionais
Concrete for Dams
José Marques Filho
Dam Safety
Carlos Henrique Medeiros
Hydraulics for Dams
Brasil Pinheiro Machado
Embankment Dams
Cássio Baumgratz Viotti
Public Awareness and Education
Miguel Z. Sória
Prospective and New
Challenges for Dams
Flavio Miguez de Mello
River Basin Management
Erton Carvalho
Tailing Dams and Waste Lagoons
Joaquim Pimenta de Ávila
The World Register of Dams
and Documentation
Sérgio C. Pimenta
Integrated Operation of Hydropower
Stations and Reservoirs
Luciano Nobre Varella
Multipurpose Water Storage
Fábio De Gennaro Castro

Núcleos Regionais
NRBA - Bahia
Diretor Regional
Roberto Facchinetti
Vice-Diretor Regional
Carlos Henrique Medeiros
Diretor Técnico
José Mário Miranda
Diretora Secretária
Maria da Graça Maia Lopes
Diretor de Comunic. Regional
Jorge Luís Rocha de Amorim

NRCE - Ceará
Diretora Regional
Ana Teresa de Sousa Ponte
Secretária
Lucrecia Nogueira de Sousa
Tesoureira
Vanda Tereza Costa Malveira

NRGO/DF - Goiás/Dist. Federal
Diretor Regional
Em processo de renovação
Vice-Diretor Regional GO
Gilson Gitirana Jr.
Vice-Diretor Regional DF
Álvaro Araujo
Diretor de Comunicação
Antonival Lima Albuquerque
Secretário Executivo
Joviano Miguel Fonseca

NRMG - Minas Gerais
Diretora Regional
Teresa Cristina Fusaro
Vice-Diretor Regional
Cléber José de Carvalho
Diretor Técnico Regional
Carlos Barreira Martinez
Diretor de Comunic. Regional
Aloyso Portugal Maia Saliba
Secretário Regional
Rodrigo de Melo

NRPR - Paraná
Diretor Regional
Carlos Infante
Secretária
Silvia Frazão Matos
Tesoureiro
Marcos Alberto Soares

NRPE - Pernambuco
Diretor Geral
Aurélio Alves de Vasconcelos
Vice-Diretor Geral
Adilton Castello Branco
Diretor Secretário
José Aquino de Souza
Diretor Tesoureiro
Alberto Jorge Cavalcanti

NRRJ - Rio de Janeiro
Diretor Regional
Celso Jose Pires Filho
Vice Diretor Regional
Leticia Costa Manna Leite
Diretor Técnico/Tesoureiro
Isaac Benchimol
Secretário
Maria do Carmo Cavalcanti
Adjuntos
Marco Antonio Ramidan
Ricardo Moreira Soares

NRRS - Rio Grande do Sul
Diretora
Lúcia Miranda
Vice-Diretor
Rafael André Wiest
Diretor Técnico
Marcelo Giulian Marques
Secretário
Roberto Arsego Zuch

NRSC - Santa Catarina
Diretor Regional
Sérgio Corrêa Pimenta
Vice Diretor Regional
Joao Raphael Leal
Diretor Técnico
Rafael Fernandes Pereira
Secretário
Francisco Carlos dos Santos

NRSP - São Paulo
Diretor Regional
Clovis Ribeiro Leme
Vice Diretor Regional
Fabio Luiz Ramos de Abreu
Secretário
Ronaldo Rocha
Tesoureiro
Paulo Victor Braun

Apoio Logístico e



Operacional do CBDB
Superintendente
Pedro Paulo Sayão Barreto
Gerente de Eventos
Rita Marques Pitta
Secretária
Marise Marinho
Administrativo
Marcos Paulo Trindade
Vitor Codeço


www.cbdb.org.br cbdb@cbdb.org.br 55 21 2528.5320

Caso não deseje mais receber estas mensagens, entre em contato com o CBDB.
Powered by Dub Projetos Visuais